CBLOL 2021: “Foi fácil prever ele”, afirma Cariok sobre confronto com Diamondprox

League of Legends
De:Vitor Ventura-
June 12, 2021

Neste sábado (12), foi realizada a Rodada 3 do 2º split do CBLOL 2021 e uma das partidas, paiN x FURIA, marcou o encontro de um jovem jogador do cenário brasileiro, Cariok, com o lendário Diamondprox, que reinventou a jungle ainda no início do cenário competitivo de League of Legends.

Cariok x Diamondprox

O Mais Esports conversou com o brasileiro, com exclusividade, sobre o confronto com o russo, além da vitória da paiN sobre a FURIA, que colocou os Tradicionais nas posições mais elevadas da tabela, também por causa do baixo tempo de vitórias.

“O jogo foi bem tranquilo, mas isso se dá pela sinergia do time. Acho que a sinergia deles não está tão boa ainda, então foi fácil prever o que ele iria fazer, pois da forma que as lanes jogavam… Isso é algo que ainda somos superiores à FURIA, a sinergia que temos eles ainda não tem, acabou que foi um jogo bem tranquilo. Esperava que fosse mais difícil.”

Early game da paiN

Uma das principais armas da paiN neste início de CBLOL, o early game vem garantindo boas vantagens para a equipe nesse 2º split. Para Cariok, a paiN sempre teve um começo de jogo forte, mas graças às experiências no MSI, este ponto está ainda mais fortalecido com disciplina.

“Antes, quando iríamos fazer uma jogada no bot, também fazíamos no top, e isso abria janelas para que fossemos punidos. Mas agora, quando fazemos uma jogada de um lado do mapa, o outro já fica mais seguro, o que faz ficar mais difícil para o outro time punir. Quando jogamos com essa disciplina, é muito difícil ganhar de nós. […] Pegamos isso jogando lá fora”, explica Cariok.

A paiN atualmente ocupa a 2ª colocação da tabela e vai em busca de se firmar ainda mais no pelotão de frente. Neste domingo (13), Cariok e companhia enfrentam a Rensga, que terá o retorno de Yuri após cumprir suspensão contra a KaBuM!.

Você confere a cobertura completa do CBLOL aqui no Mais Esports.

Veja também: Diamondprox comenta sobre cenário brasileiro e elogia Lord Semi