CBLOL 2021: Robo revela “déjà-vu” e traça paralelo entre paiN 2021 e Flamengo 2019

League of Legends
De:Vitor Ventura-
March 26, 2021

A paiN Gaming se prepara para mais um playoff na sua história competitiva no League of Legends. Neste sábado (27), a equipe de Robo e companhia enfrenta a LOUD pela primeira quarta de final, onde o vencedor pega o Flamengo no próximo fim de semana.

O top laner da paiN, que vai para o seu 12º mata-mata da carreira, conversou com o Mais Esports sobre a preparação para a importante partida contra uma equipe que eles ainda não conseguiram vencer neste split. Ele também revelou ter sentido um “déjà-vu” na final da etapa  passada, quando sua equipe perdeu para a INTZ.

“Sinceramente, acredito que temos vantagem agora por ser Md5. Temos um leque muito grande de estratégias, possibilidades, e quando perdemos para eles nós estávamos bem mal. Temos totais condições de vencermos agora”, declarou Robo.

Ele dá o exemplo do split passado, quando a paiN havia vencido a INTZ três vezes na Fase Regular, mas foi derrotada por 3×1 na Grande Final. “Quando começam os playoffs, o campeonato é outro. Muda o jeito de jogar, preparação… Será uma série bem difícil para os dois lados, mas podemos vencer e vamos para cima.”

“déjà-vu” voltou a assombrar Robo em 2020

O dicionário define o termo  “déjà-vu” como “forma de ilusão da memória que leva o indivíduo a crer já ter visto (e, por ext., já ter vivido) alguma coisa ou situação de fato desconhecida ou nova para si.” Foi isso que Robo sentiu após ser derrotado pela INTZ na final do 2º split de 2020. Questionado do motivo disse, o Topo explica:

“Aprendemos em 2020 que, se não tivermos uma grande variedade de opções e estivermos aptos a adaptações do que for necessário, não vamos conseguir vencer. A INTZ mostrou bem isso, eles entenderam como nós jogávamos. Eu já tinha passado por isso pelo Flamengo em 2019, perdemos até para a mesma line up da INTZ.”, relembra.

Robo relembrou final do 1º split de 2019, quando perdeu para a INTZ (Foto: Riot Games)

Na época, foi dito que o Flamengo, apesar de dominar a Fase Regular, jogava de uma única maneira, o que a INTZ conseguiu aprender e contra atacar. O mesmo discurso se ouviu após a final do ano passado, agora na paiN. “Eu achei que tinha superado esse problema em 2019, mas voltou a acontecer e isso me deixou frustrado.”

Maior variedade de estratégias é o que difere a paiN deste ano

É justamente neste ponto em que Robo enxerga a maior diferença entre o time da paiN deste ano e do ano passado. Para ele, uma variedade grande de maneiras de jogar, estratégias e afins, é o que o time aprendeu desde o último playoff disputado.

“Em 2020, eu diria que só tínhamos duas estratégias e eram bem parecidas, muito fáceis de ler. Agora nós sabemos jogar de vários jeitos, com diversos campeões e estratégias diferentes, aí junta isso com a chegada do Luci”. Tem-se então um novo time da paiN.

Essa variedade maior de estilos será posta à prova neste sábado (27), quando paiN e LOUD se enfrentarem por uma vaga nas semifinais. Vai ser a chance também de Robo conseguir uma pequena revanche contra Tay, topo da Tropa em 2021, mas que atuava na INTZ no ano passado.

Você confere a cobertura completa do CBLOL aqui no Mais Esports.

Veja também: Professor quer enfrentar a LOUD na Grande Final