CEO da Vitality sobre entrada no Valorant: “Vamos trabalhar no nosso tempo”

Valorant
De:Bruno Martins-
July 16, 2020

Muitas organização de renome internacional já estão com seus elencos de Valorant completos. Outras, vão contratando aos poucos para formar uma equipe competitiva. A Vitality, no entanto, não está se movimentando no mercado e essa é uma ação proposital da organização.

valorant
Nicolas Maurer, CEO da Vitality. Foto: John Sibley/REUTERS

Valorant e Vitality

Nicolas Maurer, CEO da Vitality, falou em entrevista ao site The Loadout sobre os planos da organização para o Valorant. O executivo falou que a Vitality não tem pressa e que está estudando o cenário antes de mergulhar no FPS da Riot Games.

Antes de entrar de cabeça no Valorant, o CEO da Vitality afirmou que é preciso estudar o cenário primeiro. “Como qualquer novo título, temos que fazer uma análise adequada, analisar as métricas e as tendências, analisar o apelo público, a audiência e todos esses fatores diferentes”, disse ao The Loadout.

O executivo ainda afirmou que Valorant é um “jogo muito bom” e que a experiência da Riot Games em jogos competitivos é um ponto positivo para a modalidade. “Primeiro de tudo, o jogo é muito bom, mesmo que tenha sido lançado. Em segundo lugar, a Riot está por trás disso e quando você tem uma editora com tanta experiência em esports, é um sinal muito bom”.

Apesar dos elogios, Nicolas Maurer ainda é cauteloso ao falar sobre a entrada da Vitality no competitivo. Segundo o CEO, a organização quer fazer as coisas no seu próprio tempo para não ser surpreendida no futuro. “Vamos trabalhar no nosso tempo, porque sempre que você entrar em uma nova modalidade, você precisará encontrar o equilíbrio certo no tempo. Se você for muito cedo, corre o risco de que o jogo nunca seja considerado um esport”, afirmou Maurer.

Team Vitality e Adidas
Foto: Divulgação Vitality

Mesmo sem equipe em Valorant, Vitality realiza torneios da modalidade

Mesmo sem movimentação aparente por parte da Vitality, a organização irá realizar um torneio de Valorant. Foi perguntado para o CEO da equipe se essa competição servirá como uma espécie de peneira para possíveis futuros jogadores. Maurer revelou que sim, que irão assistir e avaliar as performance dos jogadores.

“Seríamos tolos se não estivéssemos procurando jogadores lá, então é claro que estamos procurando. Estaremos assistindo e avaliando as performances, mas isso não significa que escolheremos três jogadores deste torneio e imediatamente formaremos um time”, disse Maurer.

Sobre organizar um torneio, o CEO falou que esta é uma oportunidade para os parceiros da Vitality e também é um modo de produzir conteúdo para a comunidade da organização.

“Organizar um torneio claramente não é da nossa conta, mas é algo que tentamos fazer no passado. É interessante, pois é uma nova oportunidade para nossos parceiros. Também é útil porque está sendo hospedado na Vitality TV no Twitch , para que haja mais conteúdo lá”, falou ao site.

Valorant
Valorant, FPS da Riot Games. Foto: Riot

Sem pressão para entrar no competitivo

A G2 foi uma das primeiras organizações a anunciarem um elenco competitivo em Valorant. Porém, o CEO da Vitality não se vê forçado, pela estratégia agressiva da G2, em formar uma equipe na modalidade.

“Não me sinto forçado. Só porque eles têm essa estratégia agressiva, não significa que temos que fazer o mesmo. Eu respeito essa estratégia. Mas agora, ninguém realmente sabe o que vai acontecer. Talvez eles consigam o melhor talento no momento e esse talento ainda seja o melhor em três anos – então sua aposta será recompensada”, disse.

Maurer, ao final da entrevista, passou sua visão sobre a Vitality e Valorant. “É simples. Se é um título relevante, queremos fazer parte dele em grande estilo. Se entrarmos, entraremos forte. E quando isso acontecer, investiremos o que é necessário para obter o talento certo”, concluiu.

Veja também: Valorant: Raze tem a menor taxa de vitórias na maioria dos ranques