Logo MaisEsports
HomeAssistaRecallAnuncie
Logo MaisEsports

Free Fire: Estúdio de PUBG processa Garena por infração de direitos autorais

Maximilian Rox
publicado em 14 de janeiro de 2022
FreeFire

As coisas estão esquentando judicialmente entre a Garena, responsável por Free Fire, e a Krafton, estúdio de PUBG. Em uma ação aberta essa semana documentada pela Reuters na corte de Los Angeles, nos Estados Unidos, a empresa de PUBG está acusando a sua concorrente de infração de direitos autorais por conta da estrutura de jogo e itens de Free Fire, bem como equipamentos e locais do jogo serem idênticos ao do PUBG.

A ação envolve até mesmo o Google e a Apple por permitirem que o jogo fosse distribuído em ambas as lojas digitais. Outra empresa acusada na ação é o YouTube, que permitiu que gameplays do jogo aparecessem na plataforma bem como um live-action chinês que a Krafton citou ser “uma dramatização do seu game”.

PUBG vs Free Fire

Na ação, a Krafton cita que a Garena conseguiu distribuir milhares de cópias de Free Fire pelo mundo, gerando cerca de US$ 100 milhões de receita nos Estados Unidos no três primeiros meses de 2021.

O processo também cita que a empresa pediu para que a concorrente e as lojas parassem de comercializar o jogo até dezembro de 2021, mas não teve sucesso. Por isso, agora pede judicialmente o bloqueio do jogo.

Free Fire
Free Fire chegou a marca de 150 milhões de jogadores diários únicos em 2021. Imagem: Reprodução/Garena

Este não é o primeiro processo envolvendo PUBG e um concorrente no mercado de Battle Royale. Em 2018, a empresa responsável pelo jogo tentou processar Fortnite pelo mesmo motivo acima: direitos autorais. No entanto, a empresa desistiu do processo meses depois.

24 horas de Esports em apenas 10 minutos. Assine o Recall, a Newsletter diária do Mais Esports!

Logo MaisEsports© Todos os direitos reservados à maisesports