- Publicidade -

Em um ato publicado nessa sexta-feira (22), o governo determinou que não será liberada a entrada de estrangeiros no Brasil de qualquer nacionalidade por trinta dias. A decisão influencia diretamente o cenário de League of Legends pelo interesse das organizações brasileiras em jogadores internacionais para o segundo split do CBLoL 2020.

Faltam somente três dias para o fim da janela de transferência do CBLoL chegar ao fim. Assim, as equipes que almejavam contratar jogadores estrangeiros que ainda não se encontram no Brasil, terão um curto prazo para reformular suas estratégias e ir atrás de novos jogadores que já se encontram no país.

“Fica restringida, pelo prazo de trinta dias, a entrada no País de estrangeiros de qualquer nacionalidade”, diz trecho do ato da Casa Civil. A restrição inicial seria até o dia 28 de maio, como declarava a portaria inicial do governo, mas o prazo foi renovado.

O decreto diz que profissionais estrangeiros que forem aprovados pelo governo poderão entrar no país normalmente, além de imigrantes que já contam com residência no país.

O sul-coreano Patrick que defendeu a Redemption no primeiro split do CBLoL, tem contrato com a equipe até novembro de 2020 e disse na manhã dessa sexta-feira que não sabe se conseguirá retornar ao Brasil para a próxima etapa por conta das restrições nas fronteiras. Assim, o atirador estava em conversa com o clube para decidir seu futuro.

Algumas contratações já aconteceram entre as equipes nacionais. É o caso de esA, que deixou a Havan Liberty para defender a paiN Gaming e dyNquedo, que também saiu da Havan e atuará pela Prodigy. 

Veja também: Riot explica o porquê não terá novos modos PVE tão cedo

aeroporto congonhas
Aeroporto Internacional de Congonhas, São Paulo (Foto: Zazone Fraissat/Folhapress)