LoL: Faker pode ter seu serviço militar “atrasado” em proposta de alteração da lei na Coreia

Geral
De:Bruno Rodrigues-
September 3, 2020

Atualmente o serviço militar na Coreia do Sul é obrigatório para todos os jovens, que podem escolher quando vão prestá-lo entre os 18 e 28 anos. No entanto, um novo projeto de lei será pautado no congresso do país, visando atrasar esse tempo para alguns “tesouros nacionais”, como é o caso do mid laner Faker, melhor jogador de LoL da história e uma das personalidades da região.

O projeto foi apresentado pelo congressista Jeon Yong-gi, de acordo com o site Inven Global. A ideia é que nomes que se destaquem na cultura e artes do país, por exemplo ídolos do K-Pop ou jogadores de esports, possam ter seu alistamento atrasado para até os 30 anos.

Na atual lei, apenas pessoas que frequentam escola acima do ensino médio; estão no meio de um curso em uma instituição ou que sejam atletas de elite que tenham “contribuído para a nação”, podem adiar seus recrutamentos. Atletas que tenham “feitos consideráveis”, como conseguir a medalha de ouro em jogos internacionais, podem conseguir a isenção, mas isso ainda não se aplica aos esports.

“É completamente diferente de isenções ou exceções. O principal objetivo do projeto é criar uma maneira de fazer com que as elites da indústria cultural e artística, como o BTS ou Faker, que receberam um prêmio do monstro da cultura, esportes e turismo, atrase seu serviço militar obrigatório. Não é uma exceção, é legalmente dar a essas pessoas oportunidades iguais”, comentou um representante do gabinete de Jeon.

É normal que vários artistas e atletas da Coreia do Sul tenham que parar suas carreiras para cumprir o serviço militar. Por coincidência, no exato dia da publicação desta matéria, o caçador campeão mundial Bengi, está oficialmente completando o seu período de serviço militar obrigatório.

Veja também: Rioter mostra como está ficando novos ícones de alguns itens