×





×





×





×





×


Logo MaisEsports
Notícias
Campeonatos
Outros
Mais Esports

LoL: Grell vê mudanças de 2025 como positivas e crítica a LLA: “muito ruim e mal feita”

League of Legends

As mudanças competitivas para 2025 foram bem cruéis com a LLA, acabando de vez com a liga exclusiva da região Latino-Americana (LATAM), e fundindo uma equipe da região ao NA e ao CBLOL.

O Mais Esports já apurou os bastidores do cenário brasileiro com o impacto da notícia, e também conversou com diversos jogadores no CBLOL para entender o que eles acham da mudança, mas para entender o sentimento dos hermanos, falamos com exclusividade com Grell, atual jungler da INFINITY e um velho conhecido da torcida brasileira.

Grell conta suas opiniões sobre as mudanças no LoL competitivo em 2025

Conhecido aqui no Brasil por suas duas passagens na Keyd, em 2019 e em 2022, Grell se mostrou bem otimista com todas as mudanças anunciadas para 2025 no competitivo de LoL. O jungler falou em mais oportunidades e explicou que a situação atual da LLA é de um “cenário bagunçado”. Confira a entrevista abaixo:

Você acha que dá pra dizer que a Riot matou a LLA? E o que você achou das mudanças iniciais?

Realmente, acho que dá para dizer que Riot matou a LLA, mas sinto que, em parte, é por como as coisas eram organizadas por aqui. Faltava muito trabalho do cenário, faltavam muitos recursos que se iam não sei pra onde, e havia muita gente atuando aqui na LLA só por ter bons contatos. Então, realmente, a liga em si era muito ruim e mal feita.

Grell, você citou em uma resposta ao Guigo nas redes sociais, que gostava muito das mudanças. Eu queria entender um pouco mais: qual é o grande motivo de você ter gostado tanto do que foi anunciado?

É o que mencionei no post do Guigo: eu realmente acho que essa é uma grande oportunidade. Realmente penso que, independente das pessoas que perderam os seus empregos, o que obviamente é uma tristeza, também acho que vão se abrir novas oportunidades, por assim dizer.

As pessoas que estão se esforçando de verdade, que são bons jogadores, vão conseguir competir, ou seja: representar nossa região contra os melhores times. E nesse aspecto também, não sei porque todos o veem como pura destruição, mesmo que muitos percam seus trabalhos. Vão ser feitas novas ligas para os jogadores com nível de tier 1, mas também terá ligas justamente para os prejudicados da LLA, já que vai ser feito um Tier 2.

Por exemplo, no caso do LATAM, as pessoas que vão ficar no Tier 1 é obviamente porque merecem, e as pessoas que forem para o Tier 2 é porque ainda não tem o suficiente, e tem que dar um passo para trás para aprender, ter uma humildade, por assim dizer.

E com relação à identidade da comunidade do LATAM? Você imagina que essa mudança possa trazer mais gente para acompanhar os times da LLA ou acha que, nesse sentido, as mudanças foram ruins?

Algo muito curioso que, de fato, acontece na nossa comunidade, é que não há muita gente que apoia a nossa própria Liga. Existem muitas pessoas, pelo motivo que citei da LLA ser mal organizada. Muita gente não gosta nem mesmo de ver a LLA, os que são mexicanos, colombianos, etc, preferem ver a LCS, ver a LEC ou ver a LCK, etc.

Então, acho que é uma oportunidade muito grande, não somente para nós, mas para estarmos presentes lá fora também, para que as pessoas da NA e do Brasil também nos conheçam.

Sinto que, sim, afeta um pouco, principalmente a comunidade, mas, ao mesmo tempo, nos abre uma nova (comunidade).

Na foto, Grell, atual jungler da Isurus na LLA 2024 2º split
Foto: Reprodução/LLA Flickr

Mesmo com a competitividade que você citou, não te preocupa ter chances tão disputadas para o LATAM voltar ao solo internacional?

Realmente é algo que não me preocupa, porque sinto que se a região do LATAM quiser competir internacionalmente, vai ter que merecer, vai ter que ter um bom nível para competir. E eu acho que isso é um ponto bom.

Não acho que nós, que temos uma oportunidade para competir internacionalmente, não aproveitamos as nossas vagas internacionais tão bem, por assim dizer. Já temos seis anos competindo, muito mais, eu acho, e realmente nunca conseguimos passar para a play-in, nunca passamos pra fase de grupos, realmente. E não só não nos classificamos, mas muitas vezes fomos muito humilhados em internacionais.

Por falar em sucesso competitivo, você acha que essa junção do CBLOL e LLA, que nunca foram bem neste aspecto, pode ajudar as duas crescerem juntas? Ou pode ser mais nocivo?

Olha, sendo muito honesto, o meu ponto de vista é que mesmo que tenhamos mais de 10 anos de LLA e CBLOL individualmente, não acho que vamos melhorar no âmbito internacional. Já nos deram muitos anos, já tivemos muito tempo, e realmente não aproveitamos esse tempo e não fizemos por onde. Não honramos o valor desse spot, o valor da nossa própria liga, etc, e chegou o momento de fazer uma mudança de verdade.

No lado competitivo, eu acho que vai ser muito bom. O fato da gente ter que jogar contra equipes melhores, e literalmente ir escalando contra cada adversário melhor ainda pra poder chegar no internacional me parece incrível. Me parece que todo mundo vai ter que se esforçar ao máximo, sabe?

Apesar da sua estadia no Brasil, agora você não tem uma casa né, só CBLOL e LCS. Baseado nas suas experiências com os teammates da LLA, você acha que a adaptação deles à cultura brasileira vai ser tranquila?

Não acho que seja difícil sobreviver ao dia-a-dia, por assim dizer. Claramente é uma cultura diferente, então talvez seja difícil para um ou outro que não está acostumado. Eu nunca tive nenhum problema estando no Brasil, em temas culturais, sociais, etc, nunca tive problema.

E sobre o NA, na verdade, não sei dizer, porque em toda a minha vida não convivi com muita gente que atuou na LCS, etc, mas eu penso que: todos temos o mesmo objetivo, não? Todos querem jogar, todos querem competir, e sinto que nos unir vai tornar tudo mais fácil.

Na foto, Grell, atual jungler da Isurus na LLA 2024 2º split
Foto: Reprodução/LLA Flickr

E eu queria saber também se sua opinião reflete a opinião da maioria do backstage do LATAM, você acha que a maioria viu com otimismo assim também? Ou acha que isso é mais seu?

Eu acho que é um aspecto mais meu, mas sinto que é porque muita gente tem medo de perder seu trabalho lá. Muita gente, obviamente, não quer parar de jogar e tem medo, sabe? Tem medo de pensar tão a longo prazo, mas, a vida é assim.

São coisas que a gente já podia esperar, de que a LLA ia morrer em algum momento. E temos que ver o lado positivo, temos que virar a página, sabe? Se a gente quer estar nesse meio, é necessário conseguir se adaptar e evoluir. Então, eu vejo assim, porque realmente me sinto capaz de conseguir um trabalho, ou seja, de me esforçar o suficiente para jogar no tier 1 ou ir jogar no Tier 2, etc.O que eu sei é que esta mudança me deixa feliz e eu vou conseguir me adaptar.

Agora a Riot vai unificar um tier 2 para o LATAM, quais são suas opiniões sobre estas mudanças? Você acha que podem surgir mais jogadores novos e com potencial de lá?

Eu gosto muito dessas mudanças, porque assim: se o Tier 2 do LATAM é pior que o LLA, então ele é literalmente uma piada. Não faz muito sentido existir o Tier 2 nos moldes de hoje, porque é, de fato, muito difícil que saia um jogador novo, faz muito tempo que não sai um.

Geralmente, se aparece um talento, ele vai do Tier 3 para o Tier 1 direto. Só que a construção de talentos aqui no LATAM, não existe.

Espero que no futuro, com essas mudanças, os jogadores da LLA que agora vão ser de fato Tier 2 realmente, ou seja: vão para uma Liga “mais baixa”, por assim dizer, tenham mais humildade, e vontade para subir ao Tier 1.

A entrevista contou com ajuda do nosso Social Midia Felipe “Rag”

Na foto, Grell, atual jungler da Isurus na LLA 2024 2º split
Foto: Reprodução/LLA Flickr
Sérgio Fiorini

por Sérgio Fiorini

Publicado em 25 de junho de 2024 • Editado há 18 dias

Matérias Relacionadas
League of Legends
CBLOL 2024: “Eu tinha perdido minha essência, mas ela tá voltando”, diz RED Grevthar
League of Legends

CBLOL 2024: “Eu tinha perdido minha essência, mas ela tá voltando”, diz RED Grevthar

O Mais Esports entrevistou o mid-laner da RED, Grevthar, que contou mais sobre o seu momento no CBLOL, o da RED, Coelho e liderança do FNB. Acessa!

Há 4 horas
League of Legends
CBLOL 2024: Na 13ª rodada, a PaiN fica top 1 e a INTZ bate a LOUD
League of Legends

CBLOL 2024: Na 13ª rodada, a PaiN fica top 1 e a INTZ bate a LOUD

Ao fim da 13ª rodada, a paiN ficou top 1! E a INTZ está 2x0 em cima da LOUD. Confira todos os resultados desta rodada, acessa!

Há 5 horas
League of Legends
CBLOL 2024: “Foi um jogo bem feio”, diz VKS Bielzera
League of Legends

CBLOL 2024: “Foi um jogo bem feio”, diz VKS Bielzera

A VKS perdeu a liderança para a paiN Gaming em um jogo com mais de 50 abates e 40 minutos. Diferente da comunidade, Bielzera, assistente técnico da VKS criticou bastante o jogo, confira.

Há 6 horas
League of Legends
CBLOL 2024: O confronto dos líderes agita comunidade com final eletrizante
League of Legends

CBLOL 2024: O confronto dos líderes agita comunidade com final eletrizante

paiN Gaming e VKS foi o confronto dos líderes no CBLOL e foi insano! Confira as reações da comunidade após esse jogo eletrizante, acessa!

Há 7 horas
League of Legends
Resposta LoLdle hoje – 13 de julho: veja todas as soluções do dia
League of Legends

Resposta LoLdle hoje – 13 de julho: veja todas as soluções do dia

Confira a resposta LoLdle hoje, dia 13 de julho. O mini-game de LoL traz diversos desafios de adivinhação do League of Legends.

Há 16 horas
League of Legends
CBLOL 2024: LOUD Croc e SrVenancio comentam as mudanças na jungle
League of Legends

CBLOL 2024: LOUD Croc e SrVenancio comentam as mudanças na jungle

Será que o próximo patch não vai beneficiar tanto assim a LOUD? É o que perguntamos para o jungler e coach da equipe, confira a fala deles!

Há 1 dia

















































Campeonatos Atuais