- Publicidade -

Alguns dos engenheiros responsáveis pelo League of Legends responderam a várias questões feitas em um post no Reddit. Os usuários puderam sanar várias dúvidas quanto a algumas mecânicas do jogo, bugs e até mesmo sobre a criação de algumas habilidades. O Rioter LtRandolph contou para todos quais habilidades foram as mais difíceis de serem criadas.

A primeira citada pelo rioter foi a ult do campeão Sylas. A habilidade é capaz de roubar a ultimate de qualquer campeão e usá-la sem custo. Esse campeão fica marcado por um período de tempo, para que Sylas não possa reoubar sua habilidade novamente, repetidas vezes. “Para a ult de Sylas precisávamos ter uma definição muito mais clara de ‘o que é um feitiço?’, e não apenas uma pilha miserável de Scripts”.

Em outra resposta, o Rioter explicou mais detalhadamente como funciona a ult do campeão em termos de desenvolvimento. “Muitas habilidades são compostas por mais de uma habilidade, e são automaticamente usadas pelo jogo. Um exemplo é o W da Lulu, que possui um efeito para aliados e outro completamente diferente para inimigos. Essas habilidades ‘extras’ são colocadas em espaços de feitiços ocultos, é como se fosse o QWERDF, mas a diferença é que os jogadores não podem apertar um botão para usá-las”, comentou o Rioter.

Ele complementou falando de como melhoraram a prática de uso desses slots e como Sylas faz o uso disso. “Alteramos para melhor o uso desses espaços extras para habilidades por vários motivos, e Sylas foi uma motivação para limpar vários casos que não lidavam com isso. Em vez de apenas dizer ‘conjure o espaço 4 no scripts’, o que exige que você procure em outro lugar para descobrir qual é o feitiço, esperamos que os scrips digam ‘coloque o W da Lulu no espaço extra 4. Conjure o espaço 4’, então Sylas foi criado para ter muito cuidado com seu próprio uso de espaços extras, garantindo que as ults roubadas usem livremente esses espaços”.

O ladrão de habilidades também foi citado outra vez, quando perguntado se era irritante ter que criar novos códigos para sua ultimate sempre que um novo campeão era lançado. A equipe da Riot já havia pensado nisso e um dos objetivos era não ter muito trabalho sempre que tivéssemos um novo invocador em Summoners Rift. “Isso adicionou muito trabalho inicial sobre recriar campeões de maneira mais generalizada, para que todos jogassem bem com Sylas. Acabou sendo mais trabalho do que colocamos em quase todos os outros campeões até o momento, mas é uma de nossas histórias de sucesso. Tivemos a oportunidade de limpar muitos scripts velhos para adicionar padrões mais novos, e os novos campeões tendem a funcionar sem trabalho extra”.

A passiva de Neeko também foi um grande desafio para a equipe de desenvolvimento. Esta habilidade é capaz de copiar a aparência de um campeão, incluindo sua skin, animações de até ataques básicos. “Para a passiva da Neeko havia uma tonelada de casos especiais como mísseis do Aurelion Sol, ataque básico do Graves, DJ Sona e outros. Esses exigiam tratamento especial para capturar os visuais e ataques básicos sem assumir toda a identidade do personagem”, comentou LtRandolph.

A nova ultimate de Mordekaiser também está entre as habilidades que foram difíceis de serem criadas. Nesta habilidade, ele leva um inimigo para o reino da morte, travando um duelo sem nenhum tipo de interferência externa. Case vença, Mordekaiser recebe parte dos atributos do campeão por um período de tempo.

O rioter explicou que a equipe precisou pensar “no que acontece com cada feitiço do jogo quando ele é conjurado à medida que você para o reino da morte”. Eles tentaram encontrar soluções mais “gerais”, e que funcionassem para grande parte das habilidades do jogo sem ter que criar casos específicos para cada uma, mas “sempre há exceções” de acordo com LtRandolph.

Veja também: Apenas 3 pessoas ainda possuem o bolão perfeito; 2 apostaram na G2 como campeã