R6: JP, treinador da INTZ, revela problemas nos treinamentos do cenário brasileiro

Rainbow Six
De:Bruno Martins-
February 21, 2021

Não é novidade que problemas de equipes que não levam o treinamento a sério assombram o cenário nacional de CS:GO e League of Legends. No entanto, esse fardo também acontece no Rainbow Six. Neste domingo (21), JP, treinador da INTZ, explicitou dificuldades que a equipe enfrenta nessa questão.

Em um TwitLonger, JP citou alguns problemas que a INTZ encara quando vai treinar com equipes do tier 1 e 2 nacional. O primeiro ponto que o treinador fala são os “treinos trolls”. Segundo o Intrépido, “em várias situações, em algum momento do treino, algumas equipes simplesmente ‘desistem’ e de forma proposital começam a fazer jogadas sem sentido, pulando janelas, entrando no mapa sem drone, muitas vezes nem reforço colocam”, disse.

Outro ponto abordado é que “uma das equipes leva a sério somente seu mapa de escolha. Quando chega no mapa do adversário, começa a fazer jogadas sem nexo, assim como nas troladas de ‘desistência'”, disse.

Por último, JP citou problemas de grandes atrasos, cancelamento em cima da hora e treinamento totalmente diferente do que a equipe faz em um jogo oficial de campeonato para “pegar informações” das equipes, disse o treinador.

JP, treinador da INTZ. Foto: Saymon Sampaio

Em conversa com o Mais Esports, JP afirmou que não são todas as equipes que contam com esses problema explicitados por ele. O treinador afirmou que já teve problemas com quase todos os times, mas que “muitos melhoraram com o tempo”.

Segundo o treinador, das 10 equipes da elite do Rainbow Six nacional, JP já teve problemas com sete delas. O Intrépido ainda revelou que hoje em dia, cinco equipes da Série A do BR6 “trollam” o treinamento. Já na Série B, a questão é pior. De acordo com o treinador, a segunda divisão “continua um limbo”. JP não quis citar os nomes das equipes da Série A que possuem esse problema.

Ainda na sua publicação, o treinador dos Intrépidos fez críticas à cultura de treinamento do cenário brasileiro. Para ele, os treinos com equipes de fora do Brasil “são incrivelmente melhores, pois as equipes de fora tem uma outra cultura de treino e levam isso muito a sério”. JP continuou a crítica: “O problema é que a nossa região tem uma cultura de treinos horrível, onde os treinamentos não são levados a sério como deveriam e são poucos os times que treinam sério e sem avacalhar”, disse.

JP fez críticas aos treinamentos no cenário nacional. Foto: Saymon Sampio

Veja também: VCTBR: fznnn comenta aprendizado da equipe com derrotas e planos rumo à Masters