TFT: Jogador acusa BBL de não cumprir acordo em campeonato

Teamfight Tactics
De:Bruno Martins-
August 19, 2020

Murillo Neres, 17 anos, jogador de TFT conhecido como RNG MédicoDoSus se sentiu prejudicado pela BBL por conta da empresa não cumprir com o combinado entre ele e a própria para a disputa da TFT Challenge, campeonato que foi organizado pela própria BBL.

MédicoDoSus, jogador de TFT. Foto: Arquivo Pessoal

Segundo o jogador, a BBL prometeu que iria alugar computadores para os jogadores que não conseguiriam fazer a stream pela própria máquina da final do TFT Challenge. MédicoDoSus contou ao Mais Esports que foi convidado para ir à BBL para jogar e disse que “lá havia uma sala onde poderia jogar em um PC que conseguisse fazer a stream” da sua tela.

MédicoDoSus, animado, contou para sua mãe sobre o convite. “Logo quando fui convidado dei a notícia para minha mãe e a mesma perguntou se aquilo era sério e eu respondi ‘é claro mãe'”. O jogador continuou: “No dia seguinte simplesmente não consegui contar para ela a situação [que a ida à BBL fora cancelada]”, desabafou.

“No dia da primeira semifinal do campeonato, eu recebi uma mensagem sendo convidado para ir à BBL e que lá haveria uma sala onde eu iria poder jogar em um PC que conseguiria streamar a minha tela. Foi pedido o meu endereço e dito que o Uber seria pago pela BBL”, disse o jogador ao Mais Esports. Dois dias depois, no dia da final, o jogador recebeu uma mensagem que sua ida à BBL fora cancelada pelo fato de ter um evento no local e seria perigoso uma aglomeração.

bbl
Palco de disputa de grandes campeonatos nos estúdios da BBL. Na foto, é realizado o Circuito Desafiante de LoL. Foto: BBL

Com a situação, Neres teve que jogar de seu notebook, como jogou em outras fases da competição, e sua tela não foi transmitida por complicações técnicas já que seu computador não tinha potência suficiente para fazer a stream e competir. “Eu joguei no meu notebook como joguei as outras fases. Eles me chamaram pois eu não consigo transmitir a tela: não existe um sistema de modo espectador como no LOL e meu notebook não aguenta jogar e transmitir via Discord”, contou ao Mais Esports.

O jovem de 17 anos também contou que se sentiu prejudicado com toda a situação. De boas atuações nas fases iniciais, MédicoDoSus não conseguiu manter o desempenho após o cancelado de sua ida à BBL. “Eu estava indo muito bem nas outras fases e depois disso eu comecei a jogar muito mal”, disse.

Posicionamento da BBL

A reportagem entrou em contato com a BBL e pediu esclarecimentos a respeito da situação envolvendo o jovem jogador do TFT. Segundo a empresa, a BBL se preparou para uma etapa final onde os jogadores não iriam conseguir transmitir sua tela.

bbl
BBL confirmou o relato do jogador e afirmou que decisão foi tomada por conta de questões de saúde. Foto: Reprodução

“O broadcast era essencial e por isso disponibilizamos uma equipe de produção que poderia ou enviar um computador temporário para estes jogadores, ou recebê-los em nosso estúdio, para que a captura de tela em tempo real pudesse ser realizada com segurança e não prejudicasse a gameplay dos participantes. Este era o caso do Murillo Neves. Ele seria inicialmente recebido nos estúdios da BBL para a captura de sua tela”, disse em nota enviada ao Mais Esports.

No entanto, segundo a BBL, uma nova produção fora aloca em seus estúdios e este fato colocou novos convidados não previstos anteriormente. Com muitas pessoas presentes, a empresa decidiu, por questões de saúde por conta da pandemia de COVID-19, reverter o convite para MédicoDoSus.

Confira a nota da BBL na íntegra:

“Realizar o TFT Challenge powered by Wizard foi uma experiência incrível e, por ali, tivemos uma série de desafios. Um dos maiores foi realizar uma produção de broadcast com o padrão de qualidade BBL sem acesso ao modo espectador do jogo. Por isso, em diversas etapas contamos com o auxílio da comunidade para realizar a captura de telas dos participantes. Internamente, criamos e gerenciamos uma engenharia de corte afim de utilizar as telas destes jogadores, ao vivo, na transmissão principal.

Nem tudo é simples. Alguns jogadores nos procuraram, preocupados que a transmissão de suas telas pudesse comprometer a performance de sua partida, seja por incapacidade de hardware ou de conexão de banda – em PCs mais fracos, ou em internets mais lentas, isso poderia comprometer o gameplay deles. O Esport faz parte do nosso DNA e, obviamente, entendemos que esta não seria uma solução justa ou possível aos jogadores.

Diante deste impasse, nos preparamos para um cenário onde, na etapa final, os jogadores não conseguissem transmitir suas telas. O broadcast era essencial e por isso disponibilizamos uma equipe de produção que poderia ou enviar um computador temporário para estes jogadores, ou recebê-los em nosso estúdio, para que a captura de tela em tempo real pudesse ser realizada com segurança e não prejudicasse a gameplay dos participantes. Este era o caso do Murillo Neves. Ele seria inicialmente recebido nos estúdios da BBL para a captura de sua tela.

Entretanto, durante o andamento do torneio, uma nova produção foi alocada em nossos estúdios. Com isso, teríamos uma série de convidados não previstos em nosso HQ. Sempre preocupados e respeitando criteriosamente todas as medidas necessárias de segurança contra a pandemia da COVID-19, tomamos a decisão de reverter, sim, o convite ao Murillo. Capturar a maior capacidade de telas é muito importante para nossa produção, entretanto, saúde e segurança de nossos participantes sempre vêm em primeiro lugar.

Por fim, exploramos outras possibilidades técnicas para realizar a operação, sem a necessidade de visita do Murillo aos nossos estúdios. O resultado do show foi o mesmo, sem comprometer a jogabilidade do participante.

Esperamos que, em breve, as portas do nosso HQ estejam novamente abertas – não só ao Murillo, mas a toda a comunidade que, assim como nós, é apaixonada por Esports.”