- Publicidade -

O primeiro dia do International Wildcard Qualifier 2016 começou bastante agitado e com algumas surpresas. A surpreendente derrota da INTZ para a Lyon Gaming, a vitória tranquila da Albus NoX Luna sobre a Chiefs e a grande atuação do jungler coreano Lee “Tussle” Moon-yong na vitória da Rampage sobre a Saigon Jokers foram os pontos altos da competição que classificará duas equipes para o Campeonato Mundial de League of Legends 2016.

O Mais e-Sports conversou com o jungler da Rampage, Tussle, que foi alvo de muitos elogios nas redes sociais depois da sua bela atuação de Lee Sin contra a Saigon Jokers. O jogador que mostrou um estilo de jogo bastante agressivo na primeira partida, revelou que esse é o seu estilo de jogo e que pretende continuar assim, porém sabe dos riscos que isso pode causar ao time.

“Sempre joguei de maneira agressiva, mas tenho a experiência de que ou dá muito certo ou dá muito errado. Então eu pretendo continuar jogando desta forma, mas estou buscando um equilíbrio para que sempre dê certo”, revelou o jungler.

Quando questionado sobre a pressão por ser coreano atuando no IWCQ, Tussle afirmou que sabe da pressão, mas disse não pensar nisso e acredita que isso não deveria estar tão presente no cenário dos games.

“Sei que existe essa pressão por eu ser coreano, mas eu prefiro focar em entregar a minha melhor performance possível, não só como jogador, mas também do time como um todo”, conta Tussle.

Outro ponto levantado pelo Mais e-Sports foi a questão de como funciona a comunicação da Rampage dentro do jogo, já que o time é composto por três japoneses e dois coreanos. O jungler contou que o time consegue se comunicar, mas não conseguem falar especificamente com detalhes o que eles pretendem fazer, então por conta disso, eles seguem trabalhando nisso, principalmente em questão de estratégias após as partidas.