VCTBR: Após derrota, Hastad lamenta comentários negativos: “Mesmo se eu jogar bem, vai ter hater”

Valorant
De:Victor Hugo Porto-
February 6, 2021

A SLICK de Hastad chegou à partida classificatória do Challengers Brazil, mas caiu diante da FURIA por 2-0. Sem ter uma boa performance principalmente no primeiro mapa, o argentino foi alvo de críticas. Na coletiva de imprensa, o jogador lamentou as críticas.

“Eu fico muito triste com os comentários negativos, me afeta bastante. Eu tenho muita pressão porque streamo todo dia, tenho muito público, muita gente que me apoia e também tenho muito hater. Preciso começar a não ligar tanto para isso, mesmo eu jogando bem sempre vai ter hater, qualquer erro que cometo serei punido e eu não sou um robô”.

“Foi um jogo muito pegado, os adversários eram muito bons, mas vários proplayers vieram comentar comigo para não ligar, para me acalmar, inclusive o próprio xand que disse que os haters não o representam. Terei que aprender a lidar com isso e tentar ignorar, não tem outro jeito”, continuou.

No Twitter, Hastad já tinha externado sua tristeza com os diversos comentários negativos.

Hastad deixou a desejar com sua performance na Ascent, primeiro mapa da série. De Raze, sua tradicional agente, o jogador conseguiu somente 8 abates e morreu 17 vezes.

“No primeiro jogo eu respeitei demais os adversários. Acho que se tivesse jogado mais solto, teria sido diferente. Teve uma rodada que errei uma granada, fiquei nervoso, não valorizei, e depois disso eu comecei a jogar muito recuado. Eu e BLD não estávamos tendo uma comunicação muito boa também, mas no segundo mapa eu já joguei mais solto e amanhã jogaremos mais livre e comunicando muito mais”.

O segundo mapa foi a Haven, onde Hastad conseguiu 22 abates e quase triplicou a marca do primeiro mapa, também com a Raze. Com um jogo individual melhor e um coletivo mais organizado, a SLICK forçou o overtime no confronto, mas perdeu as duas rodadas seguintes para a FURIA.

“Para a Haven, falamos de jogar mais calmos, todo mundo me incentivou a fazer jogadas e foi o que aconteceu. Consegui matar mais que o dobro na Ascent, que é um mapa que eu normalmente jogo bem, mas respeitei demais os adversários e eles me puniram. Amanhã entraremos mais confiantes e jogarei mais solto”.

Amanhã, no domingo (7), a SLICK enfrentará a Vorax às 19h em mais uma partida que dará vaga na segunda etapa do Challengers Brazil. Caso a equipe de Hastad perca, precisará disputar a seletiva aberta do torneio novamente.