- Publicidade -

Mesmo aqueles que não são fãs assíduos do competitivo de League of Legends no Brasil devem estar sabendo dos impactos que a pandemia de Coronavírus teve no ecossistema dos Esports no país. Paralisado há cerca de duas semanas, o CBLoL segue sem um posicionamento oficial sobre como continuará sua segunda metade de Fase Regular, playoffs e Final.

Considerando a orientação de cientistas e órgãos internacionais de saúde, o Mais Esports entrou em contato com todas as equipes que disputam a elite do LoL brasileiro para saber como a paralisação do principal torneio da modalidade, aliada à quarentena e medidas de precaução, afetaram suas rotinas, treinos e ambiente de modo geral.

Flamengo e-Sports

O rubro-negro e atual vice-líder do CBLoL conversou com a reportagem e contou que os treinos estão acontecendo normalmente, com somente o diferencial de todos estarem em suas respectivas residências. “O ritmo se manteve o mesmo, sendo a comunicação realizada por Team Speak.”

O Flamengo ainda afirma que, além dos treinos das equipes A e B, os jogadores disputam partidas de SoloQ à noite “para manter o treino de mecânica.”

Elenco do Flamengo na partida contra a Vivo Keyd (Foto: Bruno Alvares/Riot Games)

Furia Esports

A Furia declarou, através do manager da equipe, Erickão, que a rotina foi afetada por conta da quarentena. “Não estamos saindo de casa para nada que não seja extremamente essencial. De forma geral, continuamos treinando online e tentando seguir nossa rotina o mais próxima do normal possível.”

FURIA Uppercut
Foto: LoL Esports BR

INTZ

Em contato com a reportagem, a INTZ deu detalhes de como foram estas duas semanas desde o anúncio da paralisação do CBLoL. Segundo a organização, as atividades no Centro de Treinamento foram suspensas no mesmo dia que a Riot anunciou o hiato nos torneios, em 16 de março.

As atividades dos intrépidos continuaram no dia seguinte, 17, mas de forma totalmente online e remota, “já que desde o início de 2020 atuamos no formato de office, todos os jogadores possuem residência em São Paulo.”

Dos dias 20 a 27 deste mês, as atividades foram pausadas e retomadas três dias depois, na última segunda-feira (30), ainda totalmente online. Os treinos, segundo a INTZ, estão sendo feitos da mesma forma que ocorriam no CT, com dois blocos e o mesmo ritmo de atividades.

Foto: Riot Games

KaBuM

O Head Administrativo da KaBuM, Igor Corrêa, contou ao Mais Esports que a organização de Limeira “está seguindo todas as recomendações dos órgãos competentes e estabelecendo as nossas próprias medidas, a fim de garantir a prevenção.”

Ele também afirmou que os treinos continuaram da mesma maneira, porém, que foram realizadas mudanças no cronograma e na estrutura “para nos adaptarmos, priorizando ações individuais e o acompanhamento via videoconferência, mantendo uma rotina com atividades saudáveis e o psicológico estável.”

Foto: Riot Games

paiN Gaming

A paiN Gaming, assim como a INTZ, também interrompeu suas atividades no Office e continuou de forma online. Ao menos até o dia 20, quando pausaram sua rotina até retomarem na última segunda-feira (30). “Eles continuam se preparando e se mantendo ativos para quando as atividades do CBLoL voltarem.”

O atirador da equipe, brTT, inclusive publicou um story no seu Instagram comemorando a volta aos treinos nesta semana.

CBLoL 2020 brTT

Prodigy Esports

A PRG tomou o mesmo rumo, continuando suas atividades de forma remota. Em contato com o Mais Esports, a organização afirma que é natural o ritmo cair um pouco, “afinal estão todos no conforto do seu quarto.” Apesar disso, “nossos coachs sempre buscam que o time continue pró-ativo e que o rendimento seja o melhor possível.”

O caçador da equipe, Yampi, falou um pouco da mudança de ambiente por conta do surto de coronavírus:

“Estou sentindo uma grande diferença, como trabalhamos com gaming office e estando de quarentena, não temos a separação de ‘lazer’ e ‘trabalho’ como estava antigamente. Isso influencia em alguns detalhes na mentalidade, e está sendo um pouco mais complicado de lidar.”

Contudo, ele declara que entende a necessidade das medidas. “É pela segurança e saúde da nossa equipe, estão todos fazendo algum tipo de esforço para o bem de todos, então tudo bem sentir isso. Todas as pessoas devem estar sentindo”, conclui.

Foto: Riot Games

Vivo Keyd

Por fim, os Guerreiros da Vivo Keyd suspenderam suas atividades por duas semanas. Mesmo sem os treinos, a organização conta que orientou seus jogadores a continuarem jogando partidas nas Filas Ranqueadas, já que “não estão em dayoff”, como declarou Wender Roberto, head de comunicação e marketing da Keyd.

Foto: Riot Games

O Mais Esports tentou contato com a Redemption POA mas não obteve resposta.

O CBLoL segue, por enquanto, sem uma data de retorno. Há cerca de 15 dias, a Riot Games Brasil havia anunciado a paralisação do torneio por este período e que “dará informações sobre a volta da operação tão logo tenhamos uma nova posição”.

Em fevereiro o CBLoL já havia sido suspenso por duas semanas por conta das fortes chuvas que aconteceram em São Paulo e alagaram o estúdio onde os jogos aconteciam. Com esse hiato, a Riot Games anunciou mudanças nos calendários, incluindo um dia a mais de jogos na semana 10. O Circuito Desafiante também sofreu mudanças.

Em âmbito internacional, o Mid-Season Invitational foi adiado e a competição será disputada em julho, após o início do segundo split da maioria das ligas ao redor do mundo.

O coronavírus está causando uma pandemia no mundo. Somente no Brasil, são cerca de 5.717 casos com 201 mortes. Em todo o globo, o número de casos já passou da casa dos 800 mil.

Veja também: Times opinam sobre a possibilidade de disputar o CBLoL online