LoL: Novo patrocinador da LEC gera revolta entre narradores e analistas da própria liga

League of Legends
De:Bruno Rodrigues-
July 29, 2020

Nesta quarta-feira (29) a LEC anunciou o seu novo patrocinador, a companhia NEOM, uma empresa responsável por criar uma cidade planejada na Arábia Saudita. A nova parceria pegou todo mundo de surpresa, incluindo os narradores e analistas da liga, e gerou uma onda de revolta entre a comunidade.

Froskurinn, uma das principais casters do elenco da LEC, disse estar decepcionada com a nova parceria. “Isso é decepcionante, porque é a LEC, é a minha equipe, meu produto, meus gerentes, meu escritório, minha família, minha casa. Não é alguém distante no escritório que eu não conheço. Isso é devastador porque sei quem fez essas escolhas e me sinto silenciada”, comentou em seu Twitter.

Outros casters e analistas também se pronunciaram, e todos se mostraram surpresos e desapontados com a decisão da liga, inclusive compartilhando notícias sobre a companhia, como foi o caso do narrador Quickshort.

“Existem muitos dias bons para ser um membro da equipe da LEC, hoje não é um deles”, comentou Drakos em seu Twitter.

“Estou muito desapontado”, comentou o narrador Andy Day.

Sjokz também disse estar desapontada e, quanto questionada sobre um possível protesto, disse que não poderia responder à pergunta agora, pois toda a equipe estava em choque com o anúncio.

Entenda o caso

A Arábia Saudita tem um histórico muito negativo quando se trata de direitos humanos contra a comunidade LGBTQIA+, que inclusive é uma das causas que a própria LEC defende e apoia. O país não possui leis contra a discriminação sexual ou de gênero, e a advocacia para direitos LGBT lá é ilegal. Homens homossexuais que se casam na região e praticam sexo podem até ser condenados a chibatadas, exílio e até pena de morte por apedrejamento.

A NEOM é uma cidade planejada que está tendo um investimento e 500 bilhões de dólares para ser construída. Ela foi anunciada pelo príncipe herdeiro Mohammad bin Salman, que já foi acusado de ser responsável pela decapitação de várias pessoas injustamente, incluindo uma execução em massa no ano de 2016. O príncipe também é acusado de ser um dos mandantes do assassinato brutal do jornalista Jamal Kashoggi.

Além de toda a polêmica envolvendo pessoas da comunidade LGBTQIA+, a construção da cidade NEOM está recebendo várias denúncias de expulsão dos povos nativos da região, inclusive com o líder ativista Alia Hayel afirmando que a cidade está sendo construída sob o “sangue e ossos” da tribo Huywaitat.

Até o momento a Riot ainda não se pronunciou sobre o caso. Também não se sabe se toda a equipe da LEC irá realizar algum protesto contra a nova parceria da liga europeia. A competição está marcada para retornar nesta sexta-feira (31) com a sétima semana de jogos.