- Publicidade -

A LOUD, organização inicialmente focada no Free Fire, está em expansão. Com a adoção do sistema de franquia no CBLoL, a equipe fundada por PlayHard deixa dúvidas sobre a comunidade se entrará no League of Legends.

Em entrevista ao blog GGWP do UOL, PlayHard comentou que a organização analisa todas as oportunidades e sempre estuda se faz sentido dentro do planejamento. Modalidades como LoL, Valorant, Wild Rift e mais são vistas “em potencial para a LOUD”.

O CEO da organização também falou do investimento da equipe em comparação com os times que atuam no CBLoL.

“É importante mencionar que, embora não possamos dizer quanto, nosso investimento hoje em Free Fire é três vezes maior do que o custo de qualquer equipe do CBLoL. Mas acreditamos que novas modalidades são apenas o primeiro passo, nossos projetos incluem diversas outras áreas relacionadas a entretenimento como música, onde já lançamos dois hits, produção de campeonatos, documentários e até tecnologia com apps e novos jogos. A expansão da LOUD vai se direcionar mais aos interesses da audiência do que apenas ao mercado de Esports”.

O valor para entrar na franquia do CBLoL custa R$ 4,4 milhões para as organizações que não estão presentes no CBLoL ou no Circuito Desafiante atualmente. Carlos Antunes, diretor de Esports da Riot Games no Brasil detalhou requisitos e processos que as organizações interessadas nas franquias devem passar.

playhard ceo loud
PlayHard, CEO da LOUD (Foto: Reprodução/Facebook Bruno PlayHard)