- Publicidade -

Na última quarta-feira (24), Iván “p0me” Lucco, jogador profissional de PUBG pela Team Singularity, foi banido do Battle Royale após acusações de atitudes racistas durante uma de suas transmissões ao vivo. Na ocasião, o argentino imitou um macaco após ser eliminado por um esquadrão de jogadores brasileiros.

Esta não é a primeira vez que p0me recebe uma punição por conta de seu comportamento. Em 2019, o argentino já havia sido penalizado por dizer, em uma de suas transmissões, a frase: “por que me mata, brasileiro macaco?”. Pelo novo episódio se tratar de reincidência, a conta do jogador da Singularity foi banida permanentemente e ele sofrerá uma punição competitiva que será anunciada em breve.

Através de suas redes sociais, Carlos Madrid, Líder de comunicações da PUBG Corp na América Latina, comentou caso.

O posicionamento do jogador de PUBG

Na última terça-feira, um dia antes de sua conta ser banida, p0me publicou em suas redes sociais uma mensagem onde afirmava que não considerava suas falas e atitudes como racistas.

“Eu peço desculpas a todos os brasileiros que se incomodaram. Já me baniram uma vez por racismo e eu sempre fui contra isso, para mim, o que eu fiz não foi racista, mas peço desculpas. Por outro lado, vocês não conseguirão nada me insultando com mensagens privadas, saudações”.

A Team Singularity, equipe que o argentino representa, ainda não se pronunciou sobre o banimento do argentino que faz parte da organização desde maio de 2019.

Veja também: Mixer encerrará atividades; Ninja e Shroud poderão voltar à Twitch.