TFT: Jogadores reclamam de desorganização em Qualify do ProLegends

Teamfight Tactics
De:Vitor Ventura-
July 14, 2020

Na última segunda-feira (13), iniciou a quarta etapa da seletiva para o ProLegends, o Circuito Brasileiro de Teamfight Tactics, torneio oficial da modalidade da Riot Games.

Organizada pela BBL, a 4ª etapa contou com mais de 1000 inscritos, que deveriam realizar um check-in, além da própria inscrição para poderem participar desta última etapa da seletiva. Entretanto, segundo relatos ouvidos pelo Mais Esports e publicados nas redes sociais, a organizadora deu início às partidas sem que o número máximo de participantes fosse atingido, fazendo com que algumas partidas estivessem com um ou até três espaços vazios.

Para quem não sabe, diferentemente do LoL, as partidas oficiais não aconteceram em salas fechadas, ou “personalizadas”, como são chamadas no MOBA. Ao invés disso, é uma sala comum de Normal Game, ou seja, se a partida é autorizada com jogadores a menos, o próprio jogo encontrará pessoas dentro da Fila Normal para preencher, mas que não estão inscritos para o torneio.

Além disso, os jogadores reclamaram que fizeram o check-in no horário definido pela organizadora, às 18h, mas não receberam a tag no servidor do Discord, portanto, não puderam participar da seletiva. Tal acontecimento gerou revolta e um sentimento de frustração naqueles que ficaram de fora, ou que viram seus amigos prejudicados pelo episódio.

B1TZ foi um dos jogadores que não puderam participar do Qualify. Ele relatou em detalhes o ocorrido: “Fizemos a inscrição há dias para o campeonato que iniciou na data de hoje(segunda). Assim que liberou o check-in às 18h fizemos a conferência e ficamos na espera do término do período. Porém, ao fim do mesmo, os moderadores do campeonato enviaram uma mensagem no Discord dizendo que os ‘primeiros’ 512 que haviam feito o check-in iriam participar, caso não estivesse entre esses, ficaria de fora.”

“Estipularam o inicio do campeonato as 19h10 com o lançamento da tabela de jogadores, e aplicaram um cargo no Discord identificando qual grupo o jogador faria parte. Mas, ao realizar essas divisões de grupos, várias pessoas ficaram de fora desses supostos 512 jogadores que realizaram o check-in às 18h, incluindo streamers como eu e meus amigos que fazemos parte da elite do jogo, como também proplayers que dedicam todo o seu tempo para essas competições.”

De acordo com Vipi, outro jogador ouvido pela reportagem, a etapa da BBL foi a mais problemática de todas, mas nenhuma de fato foi tranquila. “Em todas as quatro etapas nós tivemos problemas, mas sempre conseguíamos contornar. Desta vez passou dos limites.”

Vipi explicou ao Mais Esports que cada uma das quatro fases da seletiva seria organizada por uma empresa diferente. Gamers Club, Player 1, Playerlink e BBL seriam, respectivamente, as responsáveis pela organização. As empresas foram escolhidas pela Riot Games, detentora do TFT.

“Na seletiva da Gamers Club, a ideia inicial era fazer um torneio fechado com convidados. Nós fizemos uma pressão grande nas redes sociais e isso foi alterado. No fim, abriram inscrições e cerca de 1024 jogadores participaram do Qualify.”

“Na etapa da Player 1 houve atraso para início das partidas. A plataforma ficou instável em diversos momentos e os jogos foram até quase meia-noite por conta disso”, revelou Vipi. Ele ainda revelou que a primeira versão do calendário do torneio tinham datas que atropelavam dias já definidos para a etapa seguinte, da Playerlink.

A Etapa da BBL foi tão criticada pelos participantes que a empresa anunciou dois dias extras para a realização do Qualify. Esta terça (14), inclusive, foi o dia de todos os jogadores que ficaram de fora participarem.

“Eu conheço a maioria dos players desde o set 1 e eles vieram falar comigo. Ninguém mais quer ficar jogando os torneios dessa forma largada, feita de qualquer jeito. Estamos cansados de ver players amigos de fora, estamos cansados de ver lobbys iniciando com menos 1, 2 até 3 pessoas. Jogar lobby em 5 pessoas disputando 4 vagas é horrível. Isso é anti-jogo”, desabafou Lunna, uma das jogadores que afirma ter feito o check-in no horário, mas que não pôde participar.

O Mais Esports obteve acesso, com exclusividade, a capturas de tela que mostram os organizadores do torneio autorizando o início das partidas, mesmo tendo salas com menos de oito jogadores.

Imagem: Reprodução

Um outro print mostra que uma das regras do campeonato declarava que, caso um dos 512 jogadores que fizeram o check-in não puder participar, o próximo que tivesse feito entraria em seu lugar, o que não aconteceu, de acordo com as alegações.

Imagem: Reprodução

Apesar de dias extras terem sido adicionados, a sensação dos jogadores que conversaram com o Mais Esports ainda é de frustração. Lunna afirma que ainda pretende disputar a seletiva, “mas por mais que eu esteja totalmente frustrada, ainda é meu sonho, e eu vou continuar lutando do lado da comunidade pra que o cenário de TFT seja um cenário profissional. Eu verdadeiramente espero que a Riot cobre mais das organizações, porque todas as organizações nos decepcionaram.”

B1TZ também declarou que vai participar, mas admite que fica com um “pé atrás” depois de tudo isso. “Não se pode perder a chance, mas com certeza vou participar frustrado.”

A reportagem entrou em contato com a BBL sobre os problemas citados acima. A empresa admite que cometeu erros e garantiu ouvir as vozes da comunidade.

Confira a resposta da empresa ao Mais Esports na íntegra:

“Na última segunda-feira, dia 13, demos início às qualificatórias abertas do TFT Challenge by Wizard. A priori, havíamos separado 512 vagas para a competição.

Algumas etapas classificatórias para o Pro Legends já haviam acontecido recentemente, mas tivemos o intuito de ir além. Sabemos que o ecossistema de TFT é enorme e tem um potencial incrível. Foi por isso que ao lado da nossa parceira Wizard, e com o auxílio dos nossos amigos e grupo de talentos das transmissões (Baiano, Judite, Leko, Kyure e Daniels), divulgamos esta etapa de maneira massiva. O resultado final foi surpreendente: tivemos 1.359 jogadores inscritos.

Este é um projeto gigante e, apesar de importantes jogadores e porta-vozes da comunidade chamarem nossa atenção para alguns pontos que poderíamos enfrentar de dificuldades, estávamos tão envolvidos com outros aspectos do projeto (que ainda serão revelados) que acabamos deixar detalhes passarem. Erramos.

Quando a classificatória começou no dia 13/07/2020, o check-in para o torneio lotou em menos de 1 minuto. Neste momento, alguns jogadores nos procuraram seja por discord, por PMS ou pelas redes sociais informando que não haviam conseguido realizar o check-in e que “ficaram de fora” da competição. No mesmo momento, reunimos a equipe para debater possibilidades.

A BBL vive esports desde seu nascimento, mas isso não significa que estamos imunes a eventuais tropeços. Na verdade, sabemos que eles podem acontecer. E é justamente nestes momentos que temos a honra de poder contar com uma comunidade incrível e vocal como é a do TFT. Após recebermos o feedback dos jogadores, reunimos a equipe e, enquanto o qualifier acontecia, criamos uma nova etapa, que aconteceu ontem, 14/07/2020 onde felizmente não tivemos lotação de vagas do check-in!

Vamos nos manter atentos às atualizações do torneio, suas eventuais necessidades de manobra e, mais do que isso, às vozes da comunidade. Sabemos que esta comunidade merece um ambiente seguro, competitivo e justo. Seguimos com a missão de possibilitar que jogadoras e jogadores disputem os palcos internacionais com a bandeira do Brasil e realizem seus sonhos. Não mediremos esforços para fazer isso acontecer.”

As seletivas para o ProLegends de TFT definirão oito participantes, sendo dois de cada uma das etapas. Outros oito jogadores serão selecionados a partir das Filas Ranqueadas do jogo, onde somente os mais bem qualificados da fila serão convidados para o Circuito Brasileiro. O torneio nacional dará duas vagas para o Mundial de TFT, ainda sem data definida.

Veja também: Leko questiona MD1 em qualificatória: “É completamente tóxico para o competitivo”

prolegends
ProLegends é o campeonato brasileiro de Teamfight Tatics. Foto: Divulgação/Riot Games