- Publicidade -

A votação para decidir quem serão os cinco representantes brasileiros no All-Star 2016 de League of Legends mal começou e algumas “polêmicas” têm surgido nas redes sociais. Até que ponto a votação aberta ao público é justa e reflete realmente que os cinco jogadores escolhidos pelos fãs são os mesmos que efetivamente tiveram os melhores desempenhos no último split do CBLOL?

A pergunta feita no início desta coluna se deve ao fato de que jogadores com uma fã base maior, têm se destacado nessa votação mesmo sem ter tido um bom desempenho durante o 2º split do CBLOL. O mérito de jogadores como Kami, brTT, YoDa, Revolta, Mylon e outros terem consolidado um grande número de apoiadores não pode ser tirado deles de jeito nenhum. Porém, no meu ponto de vista, se a ideia é escolher os cinco melhores do CBLOL para representar o Brasil lá fora, o ideal seria um formato diferente de votação, onde o voto do público deveria ter um peso menor para que os melhores de cada posição de fato, representassem o país na competição.

O caso Tin

O principal exemplo disso é o que está acontecendo na rota do Meio. É inegável que Gabriel “Kami” Bohm é um dos melhores mid laners do Brasil e com certeza merece e deve estar em qualquer votação em que essa posição seja levada em conta. No entanto, o que o mid laner do CNB, Thiago “TinOws” Sartori fez neste 2º split do CBLOL não foi brincadeira.

tin

Dono do melhor KDA da Fase de Grupos da competição, responsável por assegurar boa parte da vantagem de sua equipe na maioria dos jogos disputados, destaque na partida vencida pelo CNB na final do split com uma atuação impecável de Taliyah, TinOwns é apontado por jogadores, casters, analistas e alguns técnicos como o melhor mid laner do split.

No entanto, na votação para o All-Star, o mid laner do CNB aparece com apenas 19% dos votos, contra uma votação impressionante de 73% a favor do mid laner da paiN Gaming. O próprio jogador da CNB agradeceu pelos votos que tem recebido, mas já “aceitou” a derrota na votação:

Os números também mostram que as atuações do TinOwns foram superiores às do Kami no split. Tin “perde” para o jogador da paiN Gaming apenas no quesito CS por minuto, no entanto, quando analisamos o gold por minuto, o jogador do CNB apresenta uma pequena vantagem de 413 a 410.

E se o Revolta não ficasse em primeiro lugar?

Na jungle, o resultado não é surpresa para ninguém. Gabriel “Revolta” Henud é considerado hoje o melhor da posição e até mesmo um dos melhores jogadores do Brasil. Porém, o que chama a atenção na votação do All-Star é o fato de Felipe “YoDa” Noronha, que estreou na jungle pela Red Canids neste split aparecer na segunda posição, na frente de nomes como Gustavo “Minerva” Queiroz (finalista do 2º split) e de outro grande nome da posição, Thulio “sirT” Carlos.

O ponto a ser analisado nesta rota é o seguinte: como um jungler que brigou para não ser rebaixado e que não teve boas atuações ao longo do split pode estar figurando em 2º lugar com 10% dos votos em uma votação que escolherá uma equipe para representar o Brasil/CBLOL em uma competição?

yoda

O francês mais brasileiro!

Na role de suporte, temos situação parecida com a da jungle. O francês Hugo “Dioud” Padioleau que teve uma passagem marcante pela paiN Gaming, onde conquistou o carinho da torcida brasileira e hoje atua na Red Canids apareceu com uma expressiva votação de 69%, enquanto o atual suporte da paiN Pedro “ziriguidun” Mel vem na segunda posição com 13%.

Dioud enfrentou o mesmo drama que YoDa ao brigar para não cair no split e apesar de ter tido boas atuações, os suportes Willyan “wos” Bonpam do CNB, Luan “Jockster” Cardoso da INTZ e ziriguidun da paiN com certeza se destacaram mais ao longo do split.

dioud

Expectativas

Apesar da votação deixar bem claro “escolha seu jogador preferido da posição”, vale a pena lembrar que no ano passado, o time escolhido pelo público recebeu muitas críticas por conta das atuações e consequentemente não ter conquistado a vaga no Wildcard para o All-Star.

Até o momento e muito provavelmente no final da votação, o time brasileiro será composto por Felipe “Yang” Zhao, Gabriel “Revolta” Henud, Gabriel “Kami” Bohm, Pablo “pbo” Yuri e Hugo “Dioud” Padioleau.

Outro ponto que deve ser ressaltado nesta votação é que os jogadores da Keyd Stars não aparecem na votação pelo fato de estarem participando do bootcamp de três meses na Coreia do Sul.