Alocs, Caos e Edu Kim (Dono da Keyd) recebem Punição

De:Eric Teixeira-
March 11, 2016

Mais punição no CBLOL! Dessa vez a Riot anunciou a punição em cima do suporte Alocs (G3X), do Jungler Caos (Red Canids) e Edu Kim (Dono da Keyd).

Esse é simplesmente mais um dos vários casos de punição que tivemos em 2016 no CBLOL e o segundo caso de Poaching, o primeiro e mais comentado foi o Poaching da paiN Gaming em cima do jogador Loop que era na época da INTZ.

Novamente um caso que envolveu Poaching. Ambos receberam multas. Confira como foi a punição:

Envolvidos: Leonardo “Alocs” Belo, Jonas “Caos” Vriesman (jogadores) e Eduardo Kim (gerente)
Violação da Política Interregional de Antialiciamento
Multas aos jogadores; suspensão do gerente


Caos

Fatos:

De acordo com a Política Interregional de Antialiciamento, válida para as equipes e jogadores do CBLoL desde o dia 08 de agosto de 2015, nenhum membro de equipe ou filiado à equipe pode exercer a solicitação, atrair ou engajar em discussões de emprego de um jogador que está sob contrato com uma equipe profissional competindo no torneio de mais alto nível de uma região.

Existe um processo específico para a negociação de jogadores em situação regular de contrato e qualquer comunicação fora dessa norma é caracterizada como tentativa de aliciamento, o que acarreta em penalidades.

Em novembro de 2015, a pedido de Eduardo Kim (na época atuando como gerente da organização g3nerationX), o jogador Leonardo “Alocs” Belo (da G3X) entrou em contato com o jogador Jonas “Caos” Vriesman (na época na INTZ Red, atualmente na Red Canids). No primeiro contato, o jogador Caos alegou não ter contrato vigente com nenhuma organização, o que não era verdade. Após isso, o jogador Alocs fez uma proposta de emprego ao Caos. O Caos então voltou atrás e reconheceu ter, sim, contrato com a INTZ Red. Quando esse fato foi trazido à tona, imediatamente as comunicações entre as partes encerraram-se.

Após investigações e discussões com todas as partes envolvidas, os oficiais da Temporada 2016 concluíram que o jogador Caos, então contratado regularmente pela equipe INTZ Red, sofreu tentativa de aliciamento por parte do jogador Alocs, sob influência do gerente Eduardo Kim. Além disso, o jogador Caos foi conivente, disse não ter contrato quando na verdade tinha, e negociou de volta com o Alocs, o que também acarreta em penalidades.

Todas as partes colaboraram com as investigações desde o primeiro momento em que foram procuradas pelos oficiais da Temporada 2016, fornecendo todas as informações requisitadas, sendo honestos em suas declarações e reconhecendo culpa. Tudo isso é levado em consideração como atenuante no julgamento das penalidades.

No dia 11 de março de 2016, as partes envolvidas foram notificadas a respeito dessas infrações e subsequentes penalidades.

Regra relevante:

Decisão:

A organização g3nerationX, nas figuras de seu gerente e de um de seus jogadores, violou a Política Interregional de Antialiciamento e será penalizada.

Além disso, o jogador Caos também violou a Política Interregional de Antialiciamento e será penalizado.

Com isso, a organização g3nerationX fica também impedida de inscrever o jogador Caos como membro da organização em qualquer evento ou torneio da Riot, pela Temporada 2016 de League of Legends. Isso não impede que o jogador seja inscrito ou atue por qualquer outra equipe durante esse período, desde que seguindo corretamente a Política Interregional de Antialiciamento.


Penalidades:

Uma multa de R$ 4.000,00 será aplicada ao jogador Alocs.

Uma multa de R$ 4.000,00 será aplicada ao jogador Caos.

Da premiação da Primeira Etapa do CBLoL 2016, metade do percentual que ficaria para a organização G3X agora deverá ser distribuída entre os jogadores da equipe, independentemente da colocação final da equipe;

Dos direitos de uso de imagem da Primeira Etapa do CBLoL 2016, metade do percentual que ficaria para a organização G3X agora deverá ser distribuída entre os jogadores da equipe, independentemente da colocação final da equipe;

Suspensão do gerente Eduardo Kim até o final da Segunda Etapa do CBLoL 2016, a partir da data de publicação deste comunicado, ficando impedido de comparecer aos estúdios do CBLoL ou aos eventos da Riot como membro de uma organização. Além disso, ele não poderá representar nenhuma organização perante os oficiais da competição durante esse período; outro profissional deverá ser designado para esse fim.

Leia: paiN é punida por Poaching em Loop