LoL: Liga dos Surdos promove a inclusão de surdos no cenário

League of Legends
De:Bruno Rodrigues-
August 16, 2020

A Liga dos Surdos é um projeto que foi criado para promover a inclusão dos jogadores surdos de League of Legends no cenário. Além de proporcionar um ambiente de competição para eles, a liga também possui legendas e intérpretes em suas transmissões, assim os espectadores que tenham deficiência auditiva podem acompanhar os jogos sem nenhuma barreira de acessibilidade.

O campeonato já está em sua terceira edição e vem crescendo cada vez mais, conseguindo patrocinadores e apoio da própria comunidade. O Mais Esports conversou com o Andre “NerdSurdo”, CEO e fundador da Liga dos Surdos, para entender um pouco mais sobre a iniciativa.

Início da liga

Há três anos, André teve o que os especialistas chamam de “Surdez Súbita”, que é a perda repentina da audição. “Dormi normalmente e acordei no outro dia surdo, foi um baita de um susto”, comentou. Desde então ele começou a fazer coisas novas para se aceitar nesta “nova realidade”, e uma delas foi se aventurar nas transmissões ao vivo.

“Quando eu estava fazendo lives, outros surdos foram me encontrando justamente pelo nome do canal ser NerdSurdo. As pessoas não imaginam quantos surdos jogam, assistem e inclusive criam conteúdo no mundo dos games, eu mesmo não tinha noção disso”.

Andre "NErd Surdo"
André é streamer do SBT Games na Twitch.                                                   (Foto: Reprodução/Twitch/André)

André conheceu outros jogadores e foi convidado para um grupo de LoL apenas de surdos, e viu que uma reclamação constante dos membros era a falta de acessibilidade e campeonatos inclusivos. “Até já tinha acontecido um campeonato anteriormente, mas por pouco apoio, ele não vingou e o organizador acabou desistindo a ideia”, comentou.

Um tempo depois, um dos participantes deste grupo começou um movimento para “reviver” o campeonato, então ele chamou o André para ajudá-lo com a organização.

“Na primeira semana ele desistiu, mas eu entendi o lado dele porque não é fácil organizar um campeonato. Como eu já tinha dado a cara a tapa, mudado todo o padrão das lives para dar atenção para ele, eu não quis desistir. Me coloquei na frente para ao menos terminar o que já estava em andamento, e assim cumprimos a missão do primeiro torneio”.

Ele aconteceu no dia 21 de julho de 2019, data que André considera como o nascimento da Liga dos Surdos. “Eu estava com a ideia de parar com o campeonato, mas com a empolgação gerada pela primeira edição, eu fiz uns cálculos, vi como conciliaria o meu trabalho, lives e torneio, e resolvi encarar”, complementou.

Chegada das intérpretes e patrocínios

Na primeira edição, André só teve a ajuda de uma comentarista durante a transmissão, mas ele cuidou sozinho de toda a organização. Por esse motivo, o campeonato nem sequer teve tradução em libras, então a acessibilidade para os surdos era feita com uma legenda automática gerada através de um plugin para a Twitch.

Na segunda edição, que aconteceu entre outubro e dezembro de 2019, a liga passou a contar com duas intérpretes, a @suuhgetsu e a @arienista, que fazem parte da organização até hoje.

Essa edição também teve a chegada da Falkol como primeira patrocinadora da Liga dos Surdos. Eles passaram a ajudar na estrutura, orientação e também contribuem com a premiação do time campeão. Na terceira edição, que está acontecendo no momento da publicação deste texto, a Wayup, varejista eletrônica de artigos relacionados a esports, também está apoiando a iniciativa.

“Já bati na porta de várias empresas, todas relatam que os tempos estão difíceis, e geralmente apoiam os projetos que já tem um resultado forte. No caso da Liga dos Surdos, ainda estamos em crescimento, mas confiando no nosso trabalho a Wayup e a Falkol nos encontraram e está dando super certo. Desde a segunda edição o campeonato só vem melhorando”, comentou André.

Ele também ressaltou que o cenário está apoiando cada vez mais a Liga dos Surdos, e isso está dando muita moral e incentivo para todos que participam, seja quem joga ou quem está envolvido na organização.

dados liga dos surdos
Alguns números da Liga dos Surdos.                                                           (Foto: Divulgação/Liga dos Surdos)

Como funciona a Liga dos Surdos

Ao todo são oito times participando da terceira edição, estes que são divididos por grupos. Cada equipe enfrenta a outra três vezes na fase regular, com as duas melhores classificadas de cada grupo avançando para os playoffs. No mata-mata, o 1° lugar de um grupo enfrenta o 2° do outro em uma série MD5. Os vencedores vão para a final.

Cada equipe tem sete membros, sendo cinco titulares e dois reservas. Eles precisam comprovar com laudos médicos e audiometria que são surdos, mas nesta edição foi aberta uma “cota” para outros jogadores. “Pessoas que são fluentes em libras ou portadores de outras deficiências podem participar, mas obrigatoriamente cada equipe precisa ter pelo menos cinco surdos”, explicou André.

Ele também revelou que, apesar do número de equipes participantes ser por demanda, eles não descartam a possibilidade de realizar qualificatórios. Na terceira edição, 12 equipes se interessaram, mas algumas tiveram dificuldades em reunir line-up, arrumar a documentação dos jogadores entre outros problemas, então ele orientou esses times a não participarem.

“A organização é algo que sempre vamos priorizar. Permitir uma equipe só por permitir poderia gerar WOs e desistências, por isso escolhemos aquelas que se organizaram para o campeonato”.

André ressaltou que existem muitos jogadores surdos que são “diamantes a serem lapidados”, e que sonha com o dia em que as organizações do cenário formarão line-ups com eles.

As intérpretes participam dos momentos pré-jogo e pós-jogo, e durante as partidas, toda a narração é legendada para os espectadores surdos. “Já testamos com as intérpretes durante a partida, mas os próprios surdos pediram para que não colocássemos elas. Como a comunicação de uma boa parcela dos surdos é libras, eles querem ter total atenção e foco no que está acontecendo no jogo, por isso a legenda acaba sendo a melhor opção”, contou André.

Além das intérpretes, ele também ressaltou a ajuda do Gabriel Maizena, um ex-jogador da liga que hoje é o social media deles. “É legal para nós termos as redes sociais comandadas por um surdo. Se o campeonato é para todos nós, surdos, nada mais simbólico. Ele faz uma excelente cobertura nas redes na hora das partidas”, completou.

Planos para a Liga dos Surdos

Ao ser perguntado sobre os planos de expansão da Liga dos Surdos, André brincou e disse que estes ainda são “segredo de estado”, mas que futuramente serão revelados. No entanto, ele ressaltou que dará os próximos passos pensando na continuidade para o trabalho das equipes.

“Quero que a liga seja a porta dos jogadores para o cenário e não apenas um campeonato bolha. Não queremos isolar eles no campeonato, mas sim trazer o talento deles ao conhecimento de todos e gerar novas oportunidades além da Liga dos Surdos”.

Ele também ressaltou que buscará trazer novas parcerias para melhorar a estrutura da liga e até mesmo fazer dela uma profissão para todos que participam da organização, estes que atualmente fazem tudo de forma voluntária.

Como acompanhar a Liga dos Surdos

A terceira edição do campeonato começou no dia 8 de agosto e vai até o dia 26 de setembro, que é o dia nacional do surdo. A fase de grupos acontecerá todos os sábados e domingos a partir das 17 horas, e é transmitida no canal oficial do torneio na Twitch.

Você também pode acompanhar o Twitter do André e o da própria liga para ficar sabendo os resultados do campeonato, calendário completo, novidades e até mesmo instruções para participar da próxima edição. Ele também possui um canal no Youtube em que posta partidas completas e melhores momentos de alguns jogos do torneio.

Leia também: Conheça o Valkirias, projeto que treina garotas para o competitivo