×





×





×





×





×


Logo MaisEsports
Notícias
Campeonatos
Outros
Mais Esports

CEO da NEOM ameaçou atirar em funcionário após Riot e BLAST cancelarem contratos, diz jornal

Geral

Nadhmi al-Nasra, CEO da cidade futurista chamada NEOM, ameaçou atirar em um dos seus funcionários após um momento de raiva, causado pelo cancelamento do contrato da empresa com a Riot Games e, posteriormente, BLAST. A parceria com as empresas foi firmada em 2020, mas durou pouco tempo após grande rejeição e críticas da comunidade.

A informação foi veiculada pelo jornal The Wall Street Journal, em um artigo chamado “Executivos expatriados fogem dos chefes ruins da Arábia Saudita”.

O texto não fala o nome das companhias envolvidas na quebra de contrato, apenas as cita como “duas empresas de videogame”. No entanto, a ocasião aconteceu no verão de 2020, mesmo período em que a parceria com a Riot e BLAST foi anunciada e, posteriormente, cancelada.

A reportagem diz que o CEO convocou uma reunião de emergência e questionou o porque não tinha sido alertado sobre a possibilidade das empresas cancelarem o contrato.

“Se você não me disser quem é responsável, eu vou pegar uma arma debaixo da minha mesa e atirar em você”. Essa teria sido a fala do CEO durante a reunião. Em seguida, uma mulher que estava na sala começou a chorar, sendo consolada por colegas.

Imagem do Nadhmi al-Nasra, CEO da NeoM
Nadhmi al-Nasra, um dos líderes da NEOM (Foto: Reprodução)

Uma cultura de repressão que assusta e afasta funcionários da NEOM

A cultura de repressão de Nadhmi al-Nasra repreende e assusta os funcionários, e de acordo com a matéria, faz com que vários executivos estrangeiros deixem a equipe da NEOM. “Alguns perderam contratos de mais de US$ 500.000 por ano em vez de trabalhar sob o comando de Nasr”, cita a reportagem.

Além disso, também foi reportado que os funcionários são menosprezados, exigências irreais são feitas e a discriminação tem “vista grossa”.

O que é a NEOM

Imagem de planejamento da cidade NEOM (Foto: Reprodução)

A NEOM é uma cidade planejada que está tendo um investimento de 500 bilhões de dólares para ser construída. Ela foi anunciada pelo príncipe herdeiro Mohammad bin Salman, que já foi acusado de ser responsável pela decapitação de várias pessoas injustamente, incluindo uma execução em massa no ano de 2016. O príncipe também é acusado de ser um dos mandantes do assassinato brutal do jornalista Jamal Kashoggi.

Além de toda a polêmica envolvendo pessoas da comunidade LGBTQIA+, a construção da cidade NEOM recebeu várias denúncias de expulsão dos povos nativos da região, inclusive com o líder ativista Alia Hayel afirmando que a cidade está sendo construída sob o “sangue e ossos” da tribo Huywaitat.

Entenda a polêmica entre a parceria da NEOM com a Riot e BLAST

Riot

LEC and NEOM
(Imagem: Reprodução/Riot)

No dia 29 de julho de 2020 a Riot fechou um patrocínio com a NEOM, mas foi duramente criticada por fãs e até mesmo pelos funcionários da empresa, que ameaçaram não ir ao ar na transmissão da LEC caso o acordo não fosse cancelado.

A Arábia Saudita tem um histórico muito negativo quando se trata de direitos humanos contra a comunidade LGBTQIA+, que é inclusive uma das causas que a própria LEC defende e apoia. O país não possui leis contra a discriminação sexual ou de gênero, e a advocacia para direitos LGBT lá é ilegal. Homens homossexuais que se casam na região e praticam a sodomia, podem até ser condenados a chibatadas, exílio e até pena de morte por apedrejamento.

No mesmo dia do anúncio, a LEC publicou que o acordo havia sido cancelado e ressaltou a importância de “reconhecer quando erramos e trabalhar rapidamente para corrigi-los”. “Estamos comprometidos em reexaminar nossas estruturas internas para evitar que isso não ocorra de novo”, finalizou.

BLAST

Imagem para ilustrar a parceria entre BLAST e NEOM
(Imagem: Reprodução/BLAST)

Já a BLAST, famosa organizadora de torneios de CS:GO, demorou um pouco mais para anunciar o cancelamento do acordo. A notícia veio no dia 13 de agosto, afirmando que as duas partes chegaram a um acordo “profissional e respeitoso” para rescindir o contrato.

Após a parceria com a BLAST ter sido anunciada, algumas pessoas famosas da comunidade de CS:GO se pronunciaram publicamente contra a decisão, entre eles FrankieVinceJust Harry e até mesmo o CEO da Astralis, que classificou o acordo como “inaceitável”, em entrevista ao site Politiken.

Bruno Rodrigues

por Bruno Rodrigues

Publicado em 07 de junho de 2022 • Editado há quase 2 anos

Matérias Relacionadas
Geral
Quais são as 10 maiores premiações nas competições de esports?
Geral

Quais são as 10 maiores premiações nas competições de esports?

Qual é o esport com a maior premiação possível no ano de 2024? Confira na matéria o top-10 modalidades que mais pagam!

Há 9 dias
Geral
Entenda como será o requisito de participação da Copa do Mundo de Esports
Geral

Entenda como será o requisito de participação da Copa do Mundo de Esports

A Copa do Mundo de Esports além de ter data e modalidades confirmadas, agora foi divulgada como vai funcionar a participação das equipes. Acessa!

Há 11 dias
Geral
Brasileiro ganha R$ 1,5 milhão na Betboom
Geral

Brasileiro ganha R$ 1,5 milhão na Betboom

Você já se imaginou ficando milionário em menos de quatro minutos? Pois bem, na última semana um brasileiro conseguiu esse feito na Betboom!

Há 20 dias
Geral
CEO da FURIA cita “estereótipo do ocidente” sobre Arábia Saudita
Geral

CEO da FURIA cita “estereótipo do ocidente” sobre Arábia Saudita

CEO da FURIA, André Akkari falou sobre a organização estar entre 30 equipes que receberão dinheiro de um investimento da Arábia Saudita.

Há 23 dias
Geral
FURIA e LOUD receberão investimento de até “seis dígitos” de fundo Saudita
Geral

FURIA e LOUD receberão investimento de até “seis dígitos” de fundo Saudita

A fundação da Copa do Mundo anunciou um fundo de investimento em 30 organizações de esports, e a FURIA e LOUD são as representantes brasileiras nessa lista. 

Há 24 dias
Geral
Presidente Lula sanciona Marco Legal dos Games
Geral

Presidente Lula sanciona Marco Legal dos Games

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou nesta sexta-feira (3) o Marco Legal dos Games à indústria de jogos eletrônicos no Brasil.

Há 26 dias

















































Campeonatos Atuais